terça-feira, 26 de outubro de 2010

Mode Mark Millar on

Todos sabem que o Millar tá com o ânus peludo e ruivo dele coçando para escrever uma hq ou uma trilogia no cinema pro Superman, então, eu também quero, porque sou invejoso e safado que nem ele.
Roteiro pro Superman pros tempos modernos 
atuais de hoje em dia: 

Primeiro filme: Superman - Reboot  


O Super, depois de tantos anos, faz amor com a Lois Lane e a explode, por acidente, ao atingir o orgasmo. Deprimido, Clark se entrega a bebida e se aposenta como super-herói, voltando pra Smallville, onde vive como um simples fazendeiro e relembra detalhes de seu passado/origem para tentar diminuir sua dor.

Lex Luthor faz pesquisas sobre kripton e descobre oculto, no gps da nave do Super, um sistema operacional alienígena potentíssimo e o ativa para fins comerciais, mas é Brainiac, responsável pelo fim do planeta natal de Kal-El.

Ele coleta informações sobre o planeta e o destroi, Metropolis se torna seu alvo. Lex vê a cagada que fez e parte em busca do Superman para salvar a própria pele.

Lex e Super unem forças para deter Brainiac, salvam o mundo e Metropolis com a descoberta de Kandor que vai povoar a lua, terraformando-a e teremos a Supergirl e seus pais vivos que libertarão Zod e sua turma da Zona Fantasma deixando um gancho pra continuação.

Segundo filme: Superman - Nova Krypton  


No segundo filme, Lex usa os restos da tecnologia do Brainiac pra estudo e fins comerciais/militares, mas de forma mais segura que da primeira vez e se junta ao General Lane que busca vingança por causa da morte de sua filha e pela insegurança de se ter milhares de supermen morando na Lua. Eles criam um exército de Metalos como precaução, movidos a diferentes tipos de kriptonita e atacam a lua, depois de incidentes desastrosos causados por kandorianos na Terra.

Rola uma guerra do caralho, Metalos x Kandorianos e o Super no meio, perdido que nem cego no tiroteio, dividido entre seu povo e o povo que o adotou.

No fim, Kandor é destruída, alguns fogem pra Terra e se escondem sob uma identidade humana, mas o governo ainda os caça que nem ratos.

O Superman, arrasado, tenta ser um embaixador e trazer a paz entre humanos e kandorianos sobreviventes, mas o preconceito e a segregação é intensa, tornando tudo mais difícil até surgir uma grande ameaça pra tornar tudo mais interessante prum terceiro filme.

Terceiro filme: Superman - O fim  

O Terceiro filme tem de ser épico. O Super começa a ouvir uma voz que promete trazer Lois de volta a vida, mas para isso ele deveria crer e fazer um sacrifício para o deus Darkside.

Ele fica confuso e acha que está enlouquecendo devido ao profundo estresse pós-traumático que sofreu após perder seu amor e seu povo pela segunda vez.

Essa voz pede pro Super abrir o portal pra Zona Fantasma no centro do sol e a reação causada, daria a ele o poder de ressuscitar Lois Lane.

Desesperado e com imenso remorso, ele faz, absorve muita energia solar, ganha poder pra trazer Lois de volta, mas ele é enganado, pois se torna vítima de uma degeneração celular fatal e liberta Darkside da Zona Fantasma que ao passar pro nosso plano rouba energia do sol transformando-o num sol vermelho.

A Supergirl explica que Darkside seria o deus caído de Kripton e por muitos anos estava exilado no planeta Bizarro, uma área sombria e isolada da Zona Fantasma.
Superman restaura o sol amarelo morrendo no centro dele derrotando Darkside e, com isso, consegue a paz entre humanos e kandorianos por salvar a Terra, mas Lois Lane fica viva e os Siegel sem grana, pois com o Super morto, o legado (e um futuro filme da Liga da Justiça ou Smallville II)   ficaria para Chris Kent, filho de Lois Lane e Clark Kent que foi concebido em laboratório e gerado na barriga de aluguel da Supergirl. Huahauhauhauha.
Fim.

Chuuuuuuuuuuupa, Miller! #aloka

2 comentários:

sapao318 disse...

Hehehehe!! a tua versão prosuper é deveras melhor que tudo já feito..oproblema é issso acontecer, hehe!!

e o primeiro desenhoé tudo de bom, hehe!!

abração!!!

Ckreed disse...

Muita coisa eu me inspirei em All Star Superman e na fase recente do Super pelo Geoff Johns com um toque pessoal e delirante meu. He he.