sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

ESPECIAL LANTERNA VERDE: A melhor história do Hal Jordan de todos os tempos! - A T U A L I Z A D O

Olha quantos anéis eu tenho! Sou Ri-ca... muito Ri-ca!!!

A pedido do nosso querido amigo Ckreed (e antes que ele altere a minha senha do TPL e me impeça de publicar mais posts), atualizo esse post com o link de importação e com fotos de peitinhos para deleite dos editores leitores desse blog!

Olá amigos cheirosos desse que é o mais pink de todos os blogs! Para aqueles que beberam todas durante o reveillon e não perderam a noção do tempo e espaço, aqui vai uma ajudinha: estamos em 2011. Ano em que teremos a adaptação no cinema de um dos heróis mais importantes das HQs... estou falando do Lanterna Verde, é claro! E para ficarmos na frente de todos (há quem goste!), inicio aqui o ESPECIAL LANTEEEEEEEEEEEEERNA VERDE!

Na primeira parte desse especial, trago um review da história que mudou para sempre como os nerds enxergavam Hal Jordan: Crepúsculo Esmeralda (Emeralda Twilight, 1994). E é justamente por ter mudado completamente a forma como Hal Jordan era visto e tratado nas HQs que essa é para mim a melhor história dele já feita até hoje... R-r-r-ratiiiinhoooo!

Na década perdida das HQs, também conhecida como década 90 ou Era Image, os editores de HQs procuravam a todo vapor uma forma de causar impacto. Os principais personagens da DC estavam passando por reformulações: Dan Jurgens recebeu cartão verde para matar o Superman, uma equipe (pouco) criativa aleijou o Batman, destituíram Diana do "cargo" de Mulher-maravilha e, por fim, enlouqueceram Hal Jordan! Essa última missão ficou a cargo de Ron Marz (roteiro) e Darryl Banks, Bill Willingham, Fred Haynes e grande elenco (arte).

Formato formatinho de Crepúsculo Esmeralda... Meu primeiro encadernado!
E custou somente R$ 2,50!


"Coast City era uma cidade de milhões de habitantes! Inocentes que juramos proteger e que foram mortos cruelmente, em segundos! Que esta torre honre a memória deles, e nos lembre que é nossa responsabilidade evitar que esta tragédia se repita!" - Superman, ao erguer o Memorial Coast City

A história: durante O Retorno do Superman, Coast City, cidade-natal de Jordan, é destruída e transformada em uma cidade-motor por Mongul e pelo Super-ciborgue. E quando se diz destruída, estou me referindo à erradicação total - um cataclisma que matou milhões de habitantes e abriu uma cratera de 19Km de diâmetro no local. Hal Jordan perdera ali, naquele momento, toda a família, amigos, conhecidos, cachorros, pássaros e esquilos (como tem esquilos naquele país?!?!?). Todos passaram a ser apenas uma lembrança para o Lanterna. E é esse o plot da história: seria a perda de todos suficiente para enlouquecer um homem?

Enlouqueço... logo, existo!

"Há alguns anos, um homem às portas da morte caiu na Terra. Antes de morrer, deu a Hal Jordan um anel. O poderoso anel energético, ativado pela foça de vontade de seu possuidor. Este anel pode realizar o impossível, desde que se queira o suficiente."

Hal Jordan, em um momento de solidão, se deixa dominar pela tentação e resolve recriar Coast City. Afinal, sendo o maior dos Lanterna verdes, tendo a arma mais poderosa do universo e podendo realizar o impossível, por que não devolver a vida a todos que pereceram? Hal Jordan então viola a lei mais sagrada de Oa e usa o poder do seu anel para ganho próprio. É então repreendido pelos Guardiões que exigem que ele retorne a Oa e entregue o anel. Hal Jordan parte em direção à cidadela dos uardiões, com propósitos nada amistosos: obter poder o suficiente para realizar o seu desejo!

Na viagem de volta à Oa, Hal Jordan enfrenta vários outros lanternas, amigos ou inimigos. Todos tombam frente à Jordan. Vamos à lista de moribundos: Kehan, de Varva; Laira, de Jayo; Tomar Tu; Jack T. Chance; Kreon, de Tebis; Hannu, de Ovacron 6; Graf Toren, de Karak; Boodika, e Kilowog (bem bacana a cena em que ele mata o Lanterna-cara-de-frutos-do-mar). O clímax é alcançado quando Hal Jordan enfrenta e assassina a sangue frio (com um super fatality!), seu ex-amigo-tutor e agora maior inimigo, Sinestro. Sem mais ninguém para enfrentá-lo, Hal Jordan se vê diante dos guardiões e exige todo o poder da bateria central para sim.

"É tarde demais pra mim. Eu não merceço mais isto!" - Hal Jordan descartando o anel energético

O novo e o velho: Parallax e Kyle Rayner.
Como as coisas sempre deveriam ser!

E era mesmo tarde! Hal Jordan entra na bateria de Oa, toma para si todo poder dos anõezinhos azuis e se transforma em Parallax, o vilão mais overpower da DC Comics, que iria aprontar várias travessuras e confusões no UDC... Antes de morrer, porém, os Oanos transferem toda a sua energia para Ganthet, o mais novo dos guardiões (e estou falando de milênios de idade). Ganthet parte para a Terra e dá o anel (isso sempre remete a ótimas piadas!) para Kyle Rayner - aquele que iria se tornar o último dos Lanterna Verdes.

A importância da história: Hal Jordan, depois de ter toda a sua cidade limada do mapa, enlouqueceu. Partiu então em busca do que achou certo para ter novamente uma família. Diferente da morte do Superman, em que o Apocalipse foi criado sem qualquer explicação e o do aleijamento do Batman (novo monstro criado do nada), em Crepúsculo Esmeralda, Hal Jordan tem um motivo (e não estou discutindo a validade desse motivo ou se ele é realmente válido) para fazer o que fez. Com sua postura correta, sempre caracterizado como um cara sem qualquer desvio de caráter ou mesmo dúvidas em relação às suas ações, Hal, se desequilibrou totalmente ao ficar impotente diante dessa situação. E essa foi a grande sacada de Ron Marz. Dar um motivo para que tudo o que realmente aconteceu com Hal Jordan fosse factível.

Crepúsculo Esmeralda (encomende o seu aqui!) foi a primeira grande reformulação de personagem que realmente valeu a pena ser lida. Simples, direta, crível. Anos mais tarde, o pseudo-deus Geoff Johns destroi tudo o que foi feito... Mas Sempre teremos uma boa história para ler na década de 90. Recentemente, a Panini lançou um encadernado com Crespúsculo Esmeralda (e seu desenrolar: Amanhecer Esmeralda). Procurem para ler... principalmente você, Singularidade! Leia o que realmente importa! leia a DC Comics! Tah que-rida!

Na próxima parte do ESPECIAL LANTEEEEEEEEEEEEERNA VERDE (que prometo publicar ainda esse ano!): Os outros Lanternas Verdes da Terra! E como de costume: peitinhos para todos nós!


Foto 1: não usaram photoshop em mim! Meu abdome é assim, mesmo!

Foto 2: legenda da foto excluído, por incitar maravilhosas práticas de sexo!

Foto 3: Sorriso sacana! Provando a excelência do meu abdome!

Eu não participo do filme do Lanterna Verde!
Mas estou aqui para prender os nerds heteros que frequentam esse blog!


Garota má!

E ele me trocou pela Sandra Bullock! (MODE Nelson Rubens OFF)

5 comentários:

Ckreed disse...

Post excelente, faltaram só umas imagens do Ryan Reynolds sem camisa e o link de importação. Se tivessem essas coisas seria perfeito e teria Ckreed assinando o post, desculpa se sou perfeita e domino a leitura de comentários do cast do MDM.

Nerd sensível disse...

Post atualizado! Espero que esteja pelo menos à altura do seu tornozelo, ó poderoso Ckreed!

Ckreed disse...

Chegou até a minha virilha, arrasou, irmão urso!

Nerd sensível disse...

#BichaMá

sapao318 disse...

Bom o post...me lembrou de quando eu li o gibi que mostram para o Hal Jordan que a cidade e as pessoas flutuavam sobre a terra..

elas eram apenas lembraças vivas criadas por ele..coisa assim!!

mas como disse...anos depois fuderam com tudo de novo, hehe!!

Muitobom o post Nerd...e valeu pela loirona peituda! 0/